quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Cochiglione Recheado

Outro dia fiquei tentando lembrar qual comida marcou a minha infância e posso afirmar pra vocês que foi o ravioli recheado com ricota fresca e nozes, entre outras comidas italianas. Há quase 40 anos minha mãe casou pela segunda vez, com um descendente de italiano. Lembro perfeitamente de todos os detalhes da preparação de qualquer reuniãozinha lá em casa. Chamavam logo a "nonna" Nina para preparar as deliciosas massas italianas. Ela e minha mãe iam no Ceasa logo cedo comprar uma caixa de tomates bemmmm maduros e um caldeirão de molho passava o dia no fogo. Quando era safra de tomate, a italianada ia toda para a granja de Seu Luís Conte (em Igarassu, pertinho de Recife) preparar caldeirões de molho para estocar. Eu adorava ver aquele ritual. No quintal, os caldeirões ficavam presos num suporte e o fogo à lenha embaixo. De vez em quando vinha uma italiana, dava uma mexida, colocava uma lenha para alimentar o fogo e conversavam alto naquela língua que só elas entendiam. Eu, sentada num balanço, acompanhava tudo aquilo achando parecido com um caldeirão de bruxas.. rss!! Final da tarde, quando o molho estava pronto elas enchiam centenas de vidros esterilizados, fechavam cuidadosamente, etiquetavam e dividiam entre elas. Devido ao inverno rigoroso na Itália, elas armazenavam o molho para um ano inteiro e depois que vieram para o Brasil continuaram fazendo o mesmo ritual. Lembro que sempre voltávamos da granja com uma caixa cheia de vidros de molhos e aquilo era guardado como ouro lá em casa.

O meu gosto pela ricota fresca vem dessa época! Para rechear os raviolis, rotolonis e canelonis, dona Nina colocava um panelão cheinho de leite para ferver e mandava nossa "secretária" correr na praia e apanhar uma garrafa grande de água do mar ( a coitada tinha que entrar e pegar a água lá no fundo para não vir com areia).  Ela ficava "plantada" junto ao fogão, com a garrafa em punho, esperando o leite subir. Quando começava a subir ela jogava a água do mar e o leite talhava formando a ricota. Gente, eu achava aquilo o máximo!! Ela dizia que a água do mar já deixava a ricota salgadinha, mas as vezes ela também talhava com limão. Depois de pronta ela temperava com salsinha picada, nozes, passas, um pouco de sal e pimenta-do-reino. Eu a-do-ra-va beliscar esse recheio, de vez em quando eu entrava na cozinha e roubava um colher.

Recheio pronto, era hora de preparar a massa! Depois de misturar os ingredientes, ela abria a massa numa maquininha bem antiga e deixava ela bem fininha. Lembro que a cozinha ficava melada de farinha até o teto! Ela apoiava aquela tira enorme de massa na bancada e colocava colheres de ricota, virava cuidadosamente para fechar e cortava os raviolis. E assim ela fazia também rotolonis e canelonis e com a massa que sobrava ela cortava tiras de macarrão. O varal ficava coberto por tiras de macarrão caseiro!

Pois é gente, depois de lembrar dessas passagens da minha infância me deu uma vontade de comer uma massa recheada com ricota fresca e como a Cacauzinha aqui não sabe preparar massa caseira, comprei um pacote de conchiglione e cozinhei conforme as especificações da embalagem (cozinhei 1/2 pacote).




Coloquei dois litros de leite integral no fogo para ferver e num copinho, espremi o suco de um limão.




Quando o leite começou a subir, derramei o limão. O leite ferveu e talhou, separando a ricota do soro.




Escorri numa peneira e o que ficou foi uma ricota fresca e branquinha.




Piquei um pouco de amêndoas e salsinha e temperei minha ricota. Acertei o sal e coloquei um pouco de pimenta-do-reino. Misturei tudo muito bem




Preparei um molho de tomate ao sugo, que você encontra a receita aqui e forrei um refratário.




Com uma colher fui recheando os conchigliones e arrumando no refratário.








Agora preparei um molho branco assim: piquei 1/2 cebola e refoguei com uma colher de sopa de manteiga.




Coloquei 1/2 litro de leite e deixei ficar bem quente. Ralei um pouco de noz moscada.




Dissolvi 1 colher de sopa de Maizena, bem cheia, em 100ml de leite e juntei à panela.




Mexi até ficar cremoso. Desliguei o fogo, coloquei um pacotinho de 50g de queijo parmesão e mexi bem.




Coloquei o molho branco por cima da massa, polvilhei queijo parmesão por cima e levei ao forno.





 
Levei ao forno para gratinar e depois passei o massarico. Subiu um cheiro delicioso de cantina italiana!

 


 

Servi a massa com um vinho tinto e o jantarzinho foi aprovadíssimo!


 


 
Existem várias opções para você rechear o conchigliones. Um creme de salmão, bacalhau ou camarão e até mesmo uma carne moída ficam excelentes também!


4 comentários:

  1. Natália Vasco Rosner12 de janeiro de 2012 09:30

    Que história linda, tia! Devia ser mesmo o máximo ver as mammas/nonnas italianas cozinhando!!
    E essa receita, hein? Tem jeito de uma refeição deliciosa e bem leve! Vcs tão precisando voltar no Saco pra a galera aqui aprovar tbm, ahahahahahha!
    Bjosssss

    ResponderExcluir
  2. Pois é Tati..ando com uma votade louca de comer o legitimo ravioli italiano... a toscana que me aguarde ;) Bruno(meu irmão) que quer ir atrás das origens e eu vou embarcar nessa viagem com ele :))
    Quanto ao Saco, só em fevereiro agora!! Mas qd for, vou preparar umas coisitas gostosas para a galera. Amanhã tem Toquinho...fim de semana de comelança..aguarde semana que vem com receitinhas deliciosas :)) njoss

    ResponderExcluir
  3. Estou aqui com agua na boca, porém mim segurando para nāo recuperar tudo que deixei aí! Amei a receita e a história de família que parece mais uma novela italiana que assistí! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí tia!! Se segure pq tem muita coisa gostosa pra comer nessa terra. Esse parto ficou gostoso mesmo, Beto e Fernando comeram todo e adoraram!! Bjoss em todos

      Excluir